domingo, 27 de junho de 2010

Os efeitos nefastos da atitude politicamente correta na produção do conhecimento científico









postei em momentos anteriores sobre o terror causado por ações consideradas politicamente corretas. Muitas vezes, essas formas de pensar e agir en-cobrem (para lembrar o Professor Dr. Alexandre Morais da Rosa) o modo como a vida, em suas diversas manifestações, aparece para cada pessoa. FAZ PARTE DO NOSSO APERFEIÇOAMENTO DEBATER IDÉIAS. Não há nada de errado realizar, DE MODO FUNDAMENTADO E CRÍTICO, a auto-reflexão (ética) do Conhecimento Científico. Entretanto, em terras brasileiras, prevalece o políticamente correto. Qual o resultado dessa realidade? Vejam vocês, meus (minhas) leitores (as), as palavras do mencionado Professor Dr. Alexandre Morais da Rosa retirado de seu blog:

Crítica Brande e Politicamente Correta

No cenário jurídico brasileiro é um pecado dizer que o sujeito não está certo. Se o cara não fala um monte de "data vênia", que Vossa Excelência está equivocado, enfim, sem ser politicamente correto, os narizes se torcem, as pessoas não aceitam a crítica. Uma crítica branda, cheia de fru-fru é um dos motivos desta fraude da Jurisdição. A crítica precisa arder. Mostrar que os fundamentos (ou pseudo) são frágeis, equivocados, errados, até mesmo decorrentes de "anafalbetismo funcional". Fico impressionado com as respostas de gente que "fica de mal", se acha "ofendido", enfim, quer "carinho crítico". Quer se diga assim: não querido, vc poderia pensar diferente. Quem sabe se vc pensar assim, assim.... Não compartilho deste modo de pensar. É preciso "dar nos dedos" para que o sujeito, acima de tudo, vá estudar!!!!!!!!!!!!! Embora eu não acredite que vá. Ele irá se fazer de vítima, ganhando afagos de outros iguais. Confundem alteridade com condescendência.

Fonte: http://www.alexandremoraisdarosa.blogspot.com

Um comentário:

  1. ÓTIMO!!! Há tempos me preocupo com essa maneira peculiar de por e dispor das palavras, deslocando-lhes o significado...

    ResponderExcluir