sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Que 2010 seja, pelo menos, autêntico nas suas palavras e ações



O ano de 2010 significa a primeira década do milênio que podemos, razoavelmente, nos orgulhar e celebrar algumas vitórias nas quais são interessantes para a humanidade. Não irei mais adiante porque seria incoerência de minha parte achar que o mundo mudou e que, agora, apesar de todos os esforços, inclusive midiáticos, a humanidade caminha para um outro patamar civilizatório. Há muito o que se fazer, compreender e refletir sobre o futuro de nossas vidas como pessoas, como Cidadãos e como coletividade (leia-se Planeta). Essa é a terrível marca da zona de conforto que, num sentido amplo da expressão, enclausura a vida de todas as manifestações as quais exigem mudança. Não há, pelo menos não percebi essa possibilildade, uma coerência entre os discursos (institucionais e apáticos) e as ações para se falar em mudança. Não vou apontar culpados, mas creio que todos temos uma tarefa a ser cumprida, por mais pesada que possa parecer. Esse é o desafio da primeira década do Século XXI: O QUE DESEJAMOS SER E COMO PODEMOS FAZER PARA TER UM MUNDO QUE ACOLHA AS DIFERENÇAS ALHEIAS? É necessário, para essa decisão, muita reflexão e a saída de atitudes nas quais privilegiem o Ser ao Ter, para lembrar as lições de Erich Fromm. A arte de amar e acolher ao próximo necessitam da decodificação da palavra lançada ao ar pelo seu emissor. Sem essa decodificação, vive-se um silêncio absurso e anárquico, como afirmava Lévinas. É essa ausência de vida que retira a possibilidade de sermos autenticos entre os nossos desejos, a nossa compreensão desses desejos e aquilo que efetivamente praticamos em nosso cotidiano. Será que o mundo realmente tem motviso para comemorar a chegada da primeira década desse milênio? Bom, posso afirmar que, segundo as tradições sociais, eu não tive motivos, nem os percebi, para me vestir de branco. E assim eu o fiz.

2 comentários:

  1. Gostei muito do teu texto mano, apesar de não observar mudanças inda me permito crer que elas acontecem.
    "Mesmo as noites totalmente sem estrelas podem anunciar a aurora de uma grande realização." (Martin Luther King)
    Que 2010 seja iluminado
    Beijos

    ResponderExcluir